Espanha - Ponte Vedra/ Armenteira/ Vila Nova de Arousa - May 2018

For a English version please scroll down

Faz um mês que fiz o meu segundo Caminho de Santiago. Nem de propósito, e para minha alegria, o meu companheiro dessa aventura vem visitar-me! É verdade, hoje chega a Lisboa o David!

David em Combarro

Decididos a fazer a vertente espiritual do Caminho Português, partimos de Pontevedra em direção a Armenteira. Quanto a mim, esta etapa tem tanto de bonita como de dura. A informação que tínhamos é que teria cerca de 20 Km mas seguramente que são uns bons 25 km, praticamente todos em subida. Ainda assim, maravilhosos!

As paisagens junto à ria são deslumbrantes! Passámos por Poio e fizemos uma pausa em Combarro - uma pitoresca freguesia, bem cuidada, repleta de pequenos restaurantes, cafés e lojas de artesanato. Aqui o meu amigo gourmet pediu umas deliciosas vieiras, que me retemperaram as forças. 
Seguiu-se uma longa e constante subida de cerca de 10 km, que oferece cenários encantadores. Só quando estávamos quase a 3 km de Armenteira é que começamos a descer até à bonita povoação, famosa pelo mosteiro de Santa Maria.

Apesar do calor, portámo-nos muito bem e, após dar entrada no albergue local e do habitual descanso, fomos celebrar o facto de termos cumprido mais uma etapa.

Dormi muito mal nessa noite. Julgo que uma família de mosquitos estava decidida a fazer um festim comigo. Como resultado, fomos dos primeiros a estar prontos para fazer a 2ª etapa desde caminho, que prometia ser mais longa que a anterior.

Esta etapa é lindíssima, sendo também conhecida pela Rota da Pedra e da Água. Até Pontearnelas, o percurso decorre muito verde, pontuado por antigos moinhos de água, sob as margens do Rio Umia.

                    Rota da Pedra e da Água
A partir daqui, e até Vila Nova de Arousa, as paisagens caracterizam-se por grandes extensões de vinha e pomar. Assumo que me surpreendeu a quantidade de árvores de kiwi.

Os cenários são muito bonitos e os aromas da primavera avançada são notórios. Por esta altura juntámo-nos a um grupo de francófonos, e nas duas últimas horas tive a oportunidade de praticar o meu francês com Patrik. Sem eu estar à espera, recuperei muito do meu vocabulário já que para comunicar com o meu novo amigo suíço não tinha outra alternativa.

Estas experiências são tão bonitas! Conhecemos e partilhamos vidas com pessoas por breves períodos de tempo. E, de alguma forma, elas passam a fazer parte da nossa vida, mesmo que não nos voltemos a ver. Tornam-se eternas, uma vez associadas a períodos de descoberta e crescimento.



Chegados a Vila Nova de Arousa, fomos até ao albergue municipal e eu “espalhei magia” tornando-me amiga do responsável pelo espaço 😄
Dei uma volta pela povoação e aprofundei ainda conversa com Michael, um alemão de personalidade densa e muito interessante.

O final de dia foi bastante animado, transformando-se num jantar partilhado no albergue. O David cozinhou, com a ajuda do Michael e do Chang (um senhor de invulgar sabedoria, de origem chinesa e radicado nos Estados Unidos há muito anos). E julgo que é assim que se traduz a felicidade. No saber estar grato pelos momentos que se vivem e a certeza de não os querer trocar, naquele momento, por nada.

Ilha de Arousa

Aconselhados pelo Nestor (espanhol que conheci em Mougás), o David e eu resolvemos ficar mais um dia em Vila Nova de Arousa para explorar a lindíssima ilha de Arousa. No dia seguinte, pedimos umas bicicletas emprestadas e percorremos a adorável ilha. Visitámos as suas praias encantadoras e um porto pitoresco que oferece todo o tipo de restaurantes de petiscos.

De regresso, e mais para o final de tarde, conhecemos mais um grupo de peregrinos, desta feita maioritariamente italianos. Nessa noite dormi invulgarmente bem e de manhã cedo arrancámos para aquela que, inesperadamente, se viria a revelar a última etapa deste meu caminho.

English version

It's been a month since I made my second Camino de Santiago. Coincidentally, and to my delight, my companion of this adventure is coming to visit me! Yes, David arrives in Lisbon today!


                 Landscape towards Armenteira

Determined to make the spiritual part of the Portuguese Path, we left Pontevedra towards Armenteira. For me, this stage is as beautiful as it is difficult. The information we had was that it would be around 20 km but surely it was ate least 25, practically all on the way up. Still, wonderful!

The scenery by the river is breathtaking! We passed Poio and took a break in Combarro - a picturesque, well-kept parish filled with small restaurants, cafes and craft shops. Here my gourmet friend asked for some delicious scallops, which replenish my stenght. There followed a long and steady ascent of about 10 km, which offers enchanting scenery. It is only around the last 3 km that we started going down to the beautiful village of Armenteira, famous for the monastery of Santa Maria.

Despite the heat, we got on very well and, after entering the local hostel and the usual rest, we were celebrating the fact that we have completed another stage.

I slept poorly that night. I think a family of mosquitoes was determined to feast on me! As a result, we were the first to be ready to follow the 2nd leg of the path, which promised to be longer than the previous one.

This stage is beautiful, also known by the Stone and Water Route. Until Pontearnelas, the course is very green, dotted by ancient water mills, under the banks of the Umia River.

From here, and up to Vila Nova de Arousa, the landscapes are characterized by large tracts of vineyard and orchard. I assume I was surprised by the large amount of kiwi trees.

The scenery is very beautiful and the aromas of the advanced spring are evident. We joined a group of francophones, and in the last two hours I had the opportunity to practice my French with Patrik. Without expecting it, I recovered a lot of my vocabulary since to communicate with my new Swiss friend I had no alternative.

These experiences are so beautiful! We know and share lives with people for short periods of time. And somehow, they become part of our lives, even if we do not see each other again. They become eternal, once associated with periods of discovery and growth.

Patrik and I

Arriving in Vila Nova de Arousa, we went to the municipal hostel and I "spread my magic" when I became friends with the person in charge of the space 😄

I went around the village and had a deep conversation with Michael, a German with a dense and very interesting personality.

The end of the day was very lively, turning into a shared dinner at the hostel. David cooked  with Michael and Chang (a man of unusual wisdom, of Chinese origin, settled in the United States for many years). And I think that's what happiness means. Being grateful for the moments you live and the certainty of not wanting to change them, for nothing.

Landscape from Island of Arousa

Advised by Nestor (the Spanish guy I met in Mougás), David and I decided to stay one more day in Vila Nova de Arousa to explore the beautiful island of Arousa. The next day, we borrowed bicycles and walked the lovely island. We visited its beautiful beaches and a picturesque harbour that offers all kinds of snack restaurants.

On the way back, and more towards the end of the afternoon, we met another group of pilgrims, most of them Italians. That night I slept unusually well, and early in the morning we took off to the one that unexpectedly revealed itself the last step of my journey (reviewed by Maria João Venâncio).


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Peru - Lima / Fundación OLI - Sep 2017

Portugal - Carcavelos / Agrupamento de Escolas de Carcavelos - Jan 2018

Perú - Lima / Proyeto Alto Perú - Oct 2017