Portugal - Açores / São Miguel - Nov 2017

For a English version please scroll down

Os Açores são um arquipélago de origem vulcânica, composto por 9 ilhas. Já tive a oportunidade de estar em 5 delas e para mim, é indiscutivelmente um dos lugares mais bonitos do mundo! No entanto, a última vez que lá tinha estado foi há cerca de 8 anos, faz portanto muuuuuito tempo.

                                                Lagoa do Canário

Fui desafiada pelo meu amigo Filipe para ir até lá, na primeira semana de Novembro, aproveitando o feriado de Todos-os-Santos. Após uma breve pesquisa, encontrei uma passagem de avião acessível à minha carteira e resolvi aceitar o convite.
Depois de um embarque super atribulado, com substituição por duas vezes de avião (num dia que só podia ser das bruxas), voei até São Miguel. Devido ao atraso na partida, cheguei já eram 2 da manhã, podre de cansada.

O Filipe esperava-me pacientemente no aeroporto. Este meu amigo é de Lisboa, mas vive há muitos anos na maior ilha do arquipélago. Companheiro de petiscos e de um bom copo, encontramo-nos sobretudo no Verão, quando está de férias pelo continente. É um homem sensível, inteligente, com um sentido de humor cáustico. Apesar de dar ares de muito despreocupado e de “não querer saber”, é algo tímido e reservado. Talvez seja essa uma das razões porque tem horror a que lhe tirem fotografias. Já eu sou uma mulher respeitadora, pelo que, conforme prometido, a apresentação dele está feita.

                                 Miradouro com vista para a Lagoa de Santiago e 7 Cidades

São Miguel é uma ilha linda! O tempo estava perfeito para passear. Solarengo, mas não muito quente. Deixei-me conduzir pelo meu cicerone que me levou à Vista do Rei, um miradouro famoso, junto a um hotel gigante abandonado, de onde se pode avistar a Lagoa das 7 Cidades. Dali fomos até à Lagoa do Canário, muito, muito bonita, e fizemos um pequeno passeio a pé até outro miradouro (famoso, por sinal), com vista para a Lagoa de Santiago.
De regresso, tomámos um café na Vila das 7 Cidades. Passámos também nos Mosteiros, com a sua praia de areia preta e piscinas naturais, e terminámos na Ponta da Ferraria, muito concorrida pela sua piscina natural de água quente. Nós passámos por lá ao pôr-do-sol e a natureza brindou-nos com um céu maravilhoso de tonalidades avermelhadas!

No dia seguinte fomos passear pela Costa Sul. Vale a pena ir até Caloura, ir à praia de Água D’Alto e passar em Vila Franca do Campo a comer uma queijada. Fomos também às Furnas, zona famosa pelo emblemático cozido à portuguesa, por ser cozinhado em buracos na terra.
Dirigimo-nos depois até ao Miradouro do Pico do Ferro e depois às Caldeiras, onde provei as diferentes águas gasificadas, com um sabor estranho, meio a enxofre. Ainda tivemos tempo para ir à praia de Ribeira Quente e finalizar o dia na Vila da Povoação a comer “as fofas”, doce típico que faz lembrar um éclair, mas com chocolate. Delicioso!

Mas os Açores é um paraíso natural! Por outras palavras, estar aqui e não fazer uns trekkings é mesmo uma pena. O meu amigo não é fã de caminhadas, mas sabe que eu sou, de forma que atenciosamente escolheu um trilho lindíssimo que se faz bem em cerca de 2 horas. Começou por me levar a Ribeira Seca, a ver um fontanário do séc. XVI muito bem conservado. Dali, levou-me ao Areal de Santa Bárbara, praia de eleição dos surfistas aqui na ilha, e depois à Ribeira Grande. Aqui iniciámos o nosso trekking. Visitámos as caldeiras e piscinas. Fomos à Barragem da Fajã do Redondo e todo o trilho do Salto do Cabrito. Deslumbrante! Vale mesmo a pena!

O passeio abriu-nos o apetite e fomos até São Brás, ao Cantinho do Cais, comer o famoso molho de peixe. Não vale a pena descrever, que vos pode fazer mal 😜😋
Bem almoçados e já tarde avançada, fomos ainda à Lagoa de S. Brás e às plantações de chá de Porto Formoso, que oferecem uma paisagem extraordinária.

Mas São Miguel tem imenso para ver e fazer. Vir aqui e não ir à Lagoa do Fogo devia ser considerado crime. Foi o que fizemos no dia a seguir. A paisagem é de uma beleza deslumbrante, de cortar a respiração, apesar dos chuviscos que caíam nesse dia. É comovente a sua beleza e faz-nos crer que não surgiu por acaso, de tão perfeita que é. 

Não sendo bonitas, mas muito, muito saborosas, fomos comer as famosas lapas, a Ribeira Grande e dali seguimos até à Praia dos Moinhos. Dirigimo-nos ainda para a Ribeira dos Caldeirões e ao Nordeste da ilha. Aqui fizemos a Ponta da Madrugada e finalizámos com um passeio à Lagoa do Congro.

Não é possível referir numa crónica tudo o que há para ver e fazer em São Miguel. Ainda assim fica no meu top o trilho da Janela do Inferno e a alegria sentida ao rever um companheiro do Caminho de Santiago, o meu amigo Eduardo.
Foram uns dias fantásticos! Estou particularmente grata ao Filipe pela forma generosa, gentil e afetuosa com que me recebeu e à vida, pelas oportunidades que me vai dando.

                                                              O meu amigo Eduardo e eu

English version

Azores are an archipelago of volcanic origin, composed of 9 islands. I have already had the opportunity to be in 5 of them. It’s one of the most beautiful places in the world! However, the last time I had been there was about 8 years ago, so a looooooong time ago.

I was challenged by my friend Filipe to go there in the first week of November, taking advantage of the All Saints' holiday. After a brief search, I found a plane ticket accessible to my wallet and I decided to accept the invitation.
After a super troubled boarding, with a couple of plane replacements (right after Halloween, what did I expect?), I flew to São Miguel. Due to the delay in departure, I arrived it was already 2 am, dead tired.
                                                                       Lagoa de Santiago

Filipe was waiting patiently at the airport. This friend of mine is from Lisbon but has lived for many years on the largest island in the archipelago. We get together especially in the summer when he is on vacation in the mainland, for some snacks and good wine. He is a sensitive, intelligent man with a caustic sense of humour. Despite giving the idea of being unconcerned and "not wanting to know", he is kind of shy and reserved. Maybe that's one of the reasons he's so horrified of taking pictures. I'm a woman who can respect that, so as promised, his presentation is made.

São Miguel is a beautiful island! The weather was perfect for sightseeing. Sunny but not too hot. I let myself be led by my cicerone that took me to Vista do Rei, a famous sight, next to an abandoned giant hotel, from where you can see the Lagoa das 7 Cidades. From there we went to Lagoa do Canário, very, very beautiful, and we made a short walk to another famous sight, overlooking the Lagoa de Santiago.
On our way back, we had a coffee in the village of Lagoa das 7 Cidades. We also passed in the Mosteiros, with its black sand beach and natural pools, and we ended up at Ponta da Ferraria, full of people due to its natural pool of hot water. The sun was setting when we got there and nature toasted us with a sky of wonderful reddish tones!


The next day we went for a walk along the South Coast. It is worth going to Caloura, to go to the beach of Água D'Alto and stop in Vila Franca do Campo to eat a cheesecake. We also went to Furnas, an area famous for its emblematic Portuguese cozido, because it is cooked in holes in the ground.
After we went to the sight of Pico do Ferro and then to the Caldeiras, where I tasted the different sparkling waters, with a strange, “sulphury” flavour. We still had time to go to Ribeira Quente beach and end the day in Vila da Povoação to eat "fofas", a typical cake that reminds us of an éclair, but with chocolate. Delicious!

                                                                   Lagoa do Fogo

Azores are a natural paradise! In other words, being there and not go for a trek is a pity. My friend is not a fan of hiking but he knows that I am, so he kindly chose a beautiful trail of about 2 hours. He started by taking me to Ribeira Seca, to see a XVI century fountain, very well preserved. Then he took me to Areal de Santa Bárbara, the beach of choice for surfers here on the island, and then to Ribeira Grande. Here we started our trekking. We visited the boilers and pools. We went to the Fajã do Redondo dam and did the entire Salto do Cabrito trail. Gorgeous! It's worth it!
The walk opened our appetite and we went to São Brás, to the Cantinho do Cais, to eat the famous fish sauce. It is not worth describing, it can harm you 😜😋
Well-stocked and already late, we went to the Lagoa de S. Brás and the tea plantations of Porto Formoso, which offer an extraordinary landscape.

But São Miguel has so much to see and do. Coming here and not going to Lagoa do Fogo should be considered a crime. That's what we did the next day. The landscape is breathtakingly beautiful, despite the drizzle that fell that day. It’s beauty is touching and it’s so perfect that makes us believe that it did not happen by chance. 

Despite not being pretty but very, very tasty, we went to eat the famous limpets, at Ribeira Grande. From there we went to Moinhos Beach. Afterwards we drove to the Ribeira dos Caldeirões and the Northeast of the island. Here we made the Ponta da Madrugada and finished with a trip to Lagoa do Congro.

It is not possible to refer in a chronicle all there is to see and do in São Miguel. Still, the trail of Janela do Inferno remains in my top and the joy felt when I reviewed a companion of the Camino de Santiago, my friend Eduardo.
These days were fantastic! I am particularly grateful to Filipe for the generous, kind and affectionate way he received me and to life, for the opportunities that it has been giving me (reviewed by Maria João Venâncio).

                                                                    Lagoa do Congro

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Peru - Lima / Fundación OLI - Sep 2017

Portugal - Carcavelos / Agrupamento de Escolas de Carcavelos - Jan 2018

Perú - Lima / Proyeto Alto Perú - Oct 2017