quarta-feira, 14 de junho de 2017

Portugal - Florescer / Linda-a-Velha - Jun 2017

For a English version, please scroll down

No âmbito do meu interesse por projetos que promovam a participação cívica, venho falar-vos da Florescer - Associação de Educação Global, uma organização sem fins lucrativos que nasceu em 2012, a partir de pessoas que não se reviam no ensino tradicional como sistema de aprendizagem para os seus filhos.



Fui ter com a Teresa Mendes, presidente da Florescer, ao jardim dos Aciprestes, em Linda-a-Velha.
Quando chego apercebo-me que está com mais duas senhoras, a começar a arrumar aquilo que suspeitei ter sido um piquenique. Um grupo de crianças brincava muito perto, de forma tranquila. Deixou-me no mesmo instante curiosa.
Apresentei-me e cumprimentei-as. Após uns breves momentos de organização entre elas, acompanhei a Teresa até um café ali perto.
A Teresa é uma mulher simpática, que transmite de imediato uma grande serenidade.

Explicou-me que apesar da sua formação de base ser a gestão, aquilo que a apaixona é a educação.
Com admiração, apercebo-me rapidamente que a serenidade inicial que transmite não é em nada incompatível com um forte dinamismo!
A minha interlocutora apresentava-se como co-fundadora de diferentes organizações, entre elas a Florescer.
Explicou-me que esta associação tem por missão trabalhar para o desenvolvimento integral de crianças e comunidades, para que assumam uma presença activa e responsável no mundo.
Fá-lo implementando e facilitando a implementação de uma educação global, convergindo as áreas da educação, ecologia, saúde cultura, tecnologia e solidariedade social.

À medida que a nossa conversa vai decorrendo, as palavras inovação e empreendedorismo surgem com frequência e, claramente a associação defende uma abordagem holística como estratégia para a promoção destes pilares.

A minha área não é a Educação, mas da minha visita ao Projeto Âncora (no Brasil) e tendo conhecimento da Escola da Ponte (em Santo Tirso), há já algum tempo que estou rendida a este tipo de abordagem. E sim, julgo que é difícil defender que o ensino tradicional promova propriamente a criatividade ou a pro-actividade das pessoas…



A Florescer desenvolve a sua actividade essencialmente em 3 vertentes:
- Educação Global – centrada na participação activa e global. Envolve as crianças e jovens e todos aqueles que fazem parte do seu mundo (famílias, professores, orientadores, voluntários, entre outros).
- Trans-Formação – visa apoiar e desenvolver acções inovadoras no âmbito da educação, tanto para docentes como para a comunidade (palestras, workshops, estágios, consultoria, etc.)
- Redes Comunitárias – a associação aposta no trabalho em rede e na partilha de práticas e de conhecimentos com outras organizações, tanto nacionais como internacionais.
De facto a associação faz parte da Rede Educação Viva – que coloca em contacto pessoas, grupos e projectos que defendem este tipo de educação. Por isso, se quiserem ver o que existe perto de vossa casa, é pesquisar.

Tive ainda a oportunidade de visitar as instalações da Florescer e verificar que, apesar de não ser um espaço muito grande, é muito agradável e as crianças estão muito tranquilas a desenvolver as suas actividades pacatamente. Por outras palavras, não é porque não estão sentadas a secretárias a olhar para quadro, que passam a estar aos gritos, não aprendem ou não respeitam os outros. Habituam-se é a pesquisar, ganham autonomia e responsabilidade.
É… aqui a educação vai ao encontro de cada criança e não o contrário.


English version

Under the scope of my interest in projects that promote civic participation, I would like to tell you about Florescer - Associação de Educação Global, a non-profit organization born in 2012, from people who did not revert to traditional teaching as a learning system for their children.

I went to meet Teresa Mendes, president of Florescer, at the garden of  Aciprestes, in Linda-a-Velha.
When I arrived I realized there were two more ladies, starting to sort out what I suspected was a picnic. A group of children quietly played very close by. I was immediately curious.
I introduced myself and greeted them. After taking a few moments for their organization, I accompanied Teresa to a nearby cafe.

Teresa is a nice lady, who immediately transmits great serenity.
She explained to me that although her basic education is management, what she is passionate about is education.
With admiration, I quickly realize that the initial serenity that she conveys is in no way incompatible with a strong dynamism!
My interlocutor presented herself as co-founder of different organizations, among them Florescer.
She explained to me that this organization has the mission of working for the integral development of both children and communities, so that they can take an active and responsible presence in the world.
It works by implementing and facilitating the implementation of a global education, converging the areas of education, ecology, health culture, technology and social solidarity.

As our conversation goes on, the words innovation and entrepreneurship come up frequently and clearly the association advocates a holistic approach as a strategy to promote these pillars.
My area is not Education, but my visit to Projeto Âncora (in Brazil) and knowing about Escola da Ponte (in Portugal, Santo Tirso), for already some time I have been surrendering to this type of approach. And yes, I think it is difficult to argue that traditional teaching promotes people's creativity or pro-activity ...

Florescer develops its activity essentially in three areas:
- Global Education - focused on active and global participation. It involves children and young people and all those who are part of their world (families, teachers, counselors, volunteers, among others).
- Trans-Training - aims to support and develop innovative actions in education, both for teachers and the community (lectures, workshops, internships, consultancy, etc.)
- Community Networks - the association bets on networking and sharing of practices and knowledge with other organizations, both national and international.

In fact, the association is part of Rede Educação Viva- which puts in contact people, groups and projects that advocate this type of education. Therefore, if you live in Portugal you can search for projects near your home.

I have also had the opportunity to visit the facilities of Florescer and to verify that, although it is not a very large space, it is very pleasant and the children are very calm to develop their activities peacefully. In other words, it is not because they are not sitting at secretaries looking at board that they are screaming, they do not learn or they do not respect others.
They get used to research, they gain autonomy and responsibility. Well ... here education goes to meet each child and not the other way around (reviewed by Ricardo Domingos).

Sem comentários:

Enviar um comentário