quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Portugal - Cooperativa Coopérnico - Jan 2017



Tenho vindo a falar-vos de alguns projectos que me chamaram a atenção por diferentes razões.
Confesso que nos últimos tempos tem assumido maior relevância para mim ferramentas e projectos que potenciem a participação dos cidadãos, procurando dar-lhes voz e poder para criar repostas às suas necessidades, de forma o mais sustentável, solidária e justa possível.

Estou convencida que a realidade do mundo actual nos obriga (ou vai obrigar a quem não o faz) a repensar a forma como vivemos e a re-priorizar os nossos valores. Este é um assunto que me apaixona porque toca em questões educacionais, ambientais, na importância de reforçar a cidadania global através de acções com enfoque na intervenção local, enfim… privilegiar o viver e sentir face ao ter e parecer.


Assim, não querendo dar uma “pastilha”, venho falar-vos de outro projecto que surge também nesta linha de pensamento - Coopérnico.

A Coopérnico é uma cooperativa de energias renováveis, constituída por pessoas preocupadas em contribuir para um desenvolvimento sustentável. Estes senhores têm sede no Cais-do-Sodré, onde me dirigi para conhecer melhor o seu trabalho.
Não domino a terminologia e conceitos relacionados com a palavra “energia” mas uma coisa sei, a electricidade em Portugal está pela hora da morte! Às vezes penso que deveríamos ter processos de carregamento de electricidade, como se faz para os telemóveis, que, aliás, era a forma como a coisa funcionava em Timor Leste há uns anos atrás (não sei como está agora).

Fui recebida pela Carla Oliveira e pela Rita Antunes que, muito paciente e simpaticamente, me explicaram como é que trabalham.

Basicamente a Coopérnico procura parceiros do 3º sector (IPSS’s, entidades estatais, escolas, etc.) que estejam interessadas em ceder o seu telhado para a colocação de painéis solares. Por esse aluguer recebem uma verba anual (que não é nenhuma fortuna mas sempre é melhor que nada), e possibilitam a captação de energia limpa. Ao afinal de 15 anos podem optar por explorar estes painéis ou usá-los para auto-consumo, reduzindo muito os gastos com energia.

A segundo linha de intervenção é que qualquer pessoa, colectiva ou individual, pode fazer parte da cooperativa, dar a sua opinião e ideias, saber de onde vem, como vem esta energia e investir nesta área, com retorno financeiro de 4% ao ano!!!

Para mim, a grande benesse vem do facto de que os membros da Coopérnico podem beneficiar da comercialização desta energia, a preços mais vantajosos do que os existentes no mercado. A Rita e a Carla não hesitam quanto ao objectivo da primeira cooperativa (e até à data a única) que opera nesta área em Portugal: dar poder aos cidadãos para que possam contribuir para o beneficio da sociedade e do meio ambiente, através da utilização de energia 100% renovável.
Gosto. Gosto muito!

1 comentário: