Singapura - Chegada / Duxton Hill - Jan 2017



Aqui estou eu em Singapura.
A minha viagem teve início na 5a feira de madrugada. Já tinha feito o check-in por isso foi tudo muito tranquilo e fluído. A viagem fez-se bem até Frankfurt onde tive direito a uma escala de 9h e meia. Pensei em ir até ao centro mas fui rapidamente dissuadida por um rapaz sul africano muito simpático, que estava a trabalhar por ali, e que meteu conversa explicando-me que eu não estava agasalhada o suficiente para os -5ºC do exterior. Não iria conseguir usufruir da cidade e seria apenas sofrimento.
Dei-me por feliz por ter livre acesso à internet e vir bem prevenida com salgados, sandes e fruta de Lisboa. O aeroporto é gigante mas não tem nada de barato.

Tive ainda tempo para travar conversa com um italiano, que viaja há 15 anos, a trabalhar para uma empresa mexicana. Faz 3 meses de trabalho, 10 dias de férias. 
Foi um companheirão mas apenas as últimas 2h. Já estava a viajar há quase 1 dia, esperava-o uma viagem de 12 horas para Singapura (como eu), onde faria escala antes de arrancar para Myanmar! Chiça!!! Estava perante um bravo!
Cheguei à hora prevista a Changi Airport, um dos aeroportos mais concorridos da Ásia. Aqui tudo se processa de forma irrepreensível e ordenada.


Levantei a mochila e apanhei um taxi até casa do meu amigo Zé Cláudio. Estava demasiado cansada para tentar perceber como chegaria lá de outra forma. Este passeio permitiu recordar-me do tão verde que é este país, com arbustos, árvores e flores por todo o lado, destacando-se as buganvílias de diversas cores.
Cheguei praticamente ao mesmo tempo que o Zé e que a Pinky (a namorada), uma filipina bonita e super simpática. O Zé teve uma semana dura por isso estava mortinho por sair e descomprimir. Foi tomar um banho, beber uma garrada de vinho com uns aperitivos em casa e lá fomos diretos para a noite!
Assumo que estava receosa de não estar à altura. Tinha a noção que estava morta… ainda assim acho que não envergonhei ninguém 😉

O Zé levou-nos até Duxton Hill (uma zona de bares e restaurantes muito simpática) e é com surpresa que me oferecem uma super bock! Estavamos no Kiosk, ponto de encontro de malta vinda de várias paragens, seguramente ponto obrigatório da comunidade portuguesa. Talvez não seja irrelevante o facto de um dos sócios ser português 😜.
A seguir fomos jantar ao Latteria, um restaurante italiano muito agradável, e a Asheley (colega do Zé e uma verdadeira festeira) juntou-se a nós. Foi ela que nos colocou, após o jantar, na discoteca Kilo, local muito concorrido, com uma fila gigante à porta. Num passo seguro e compassado passou por toda a gente, assenou com a cabeça ao porteiro e entrámos. Impressionante!
O espaço tem boa música e é muito internacional. Foi dançar até não poder mais!
É... sem saber ler nem escrever, a minha chegada a Singapura tinha resultado numa noitada.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Portugal - Projecto "Moreira Team" / Figueira da Foz - Jun 2017

Portugal - Florescer / Linda-a-Velha - Jun 2017

Espanha - Camino Santiago / Finisterra - Apr 2017