Thailand - Day by day in Koh Lanta - Mar 2017



For a English version please scroll down
 
Os dias passam-se languidamente, mas sem conseguir explicar bem como, estou sempre ocupada.
É um ritmo que me agrada, saboreado. Dá para sentirmos, vivermos, confundirmo-nos e esclarecermo-nos, sem grandes angústias. Até porque as angústias resultam de não percebermos o que se passa connosco e para as resolvermos precisamos de tempo. Mas enfim, como o que habitualmente se valoriza é o sermos produtivos, na preocupação de fazermos mais dinheiro vivemos muitas vezes amputados.


Aqui em Koh Lanta habitualmente acordo cedo e dedico as manhãs a fazer algum exercício físico e a estudar e aprofundar ferramentas de desenvolvimento pessoal.
À tarde, ou exploro um pouco da ilha ou escrevo e à noite, habitualmente acabo por estar sobretudo com os meus amigos thai e birmaneses ou os meus companheiros de dormitório – entretanto chegaram o Will (um inglês muito atencioso e com bom coração) e o Nico (um alemão simpático, já há 3 semanas por Koh Lanta, e um verdadeiro anfitrião para qualquer pessoa que chega), a juntarem-se ao Alex (o meu amigo francês).
Ainda assim os dias são sempre diferentes – Same, same but different 😊

Ao longo destas semanas tive o privilégio de participar no Lanta Lanta Festival, um festival de música, dança e outras actividades culturais tailandesas, com a duração de 3 dias. “Papa” Jack, Elara e os meus amigos locais falaram-me de forma muito entusiasmada do evento e com toda a razão!

Na Old Town, um gigante palco foi montado e nele tocaram e dançaram vários grupos, que se foram revezando antecipados pela voz de dois apresentadores, cerimoniosamente vestidos.
As ruas tornaram-se verdadeiras “walking streets”, onde se podia comprar comida deliciosa, roupa, bijuteria e artesanato.

Os restaurantes e lojas habitualmente aderem ao evento, ficando abertos até tarde. Estes estabelecimentos contratam bandas de música e improvisam bancadas de venda de bebidas alcoólicas e sumos de frutas, procurando atrair o maior número de visitantes possível.
Por duas noites passeei e disfrutei do evento. “Papa” Jack e Elara têm um “filho adoptado” na ilha, Chao - um homem muito atencioso, que durante a época alta faz o transporte de pessoas. Foi com eles que fui 😊
Confesso que passei a maior parte do tempo na Malee Malee shop, uma loja da responsabilidade de um pequeno grupo de artistas locais, com artesanato e produtos feitos à mão. Mais caros, mas muito bonitos e de óptima qualidade! Esta loja é também conhecida pelo seu saboroso café.
Os artistas são amigos dos donos do hostel onde me encontro e contrataram uma banda muito boa para aqueles dias. Foi onde fiquei, na companhia dos meus amigos, conhecendo gente, ouvindo música ao vivo, cruzando-me com os meus companheiros de dormitório e outras pessoas encantadores que tenho conhecido como Juergen and Elisabeth (um casal alemão, de meia idade, que decidiram despedir-se dos seus trabalhos e viajar pelo mundo, por tempo indeterminado, por acharem que mais vale ter menos mas sentirem-se a viver a vida).


Também foi por estes dias que o Nico levou-nos a mim, ao Alex e à Jojo a passear por estradas interiores e caminhos no meio da floresta. Absolutamente maravilhosos!.
Nesse passeio passámos por Atcha Lanta - Elven Crafted Studio, um projecto desenvolvido por um casal que procura seguir os princípios da permacultura, tanto no que concerne à construção habitacional como na relação com a natureza. Aqui os animais estão à solta, sejam gansos, galinhas ou cavalos, entre outros selvagens (como é o caso de uma cobra que vimos passar!). Para a sua sustentabilidade, fazem joalheria e têm um bar. Os meus companheiros e eu fizemos aqui uma pausa e eu bebi um chai thai delicioso 😋


English version

The days go by languidly but, without being able to explain it well, I'm always busy.
It's a rhythm that pleases me, it is savored. I may feel, live, become confused and clarify myself without great anguish. Even because the anguish results from not realizing what is happening to us and, in order to do that, we need time. Nevertheless, as what is usually valued is to be productive, we are concerned with making more money so we often live as amputees.

Here in Koh Lanta, I usually wake up early and spend the morning doing some physical exercise and studying and deepening personal development tools.
In the afternoon, I explore the island a little or I write. And at night, I usually end up being mostly with my Thai and Burmese friends or my roommates - meanwhile, Will arrived (a very attentive Englishman with a good heart) and Nico (a friendly German, already for 3 weeks in Koh Lanta, and a real host for anyone who arrives), to join Alex (my French friend).
Even so, the days are Same, same but different 😊

During these weeks I was privileged to participate in the Lanta Lanta Festival, a festival of music, dance and other Thai cultural activities, which lasts 3 days. "Papa" Jack, Elara and my local friends talked to me, very enthusiastically, about the event and they were quite right!

In the Old Town, a giant stage was set up where several groups played and danced. They were alternately anticipated by the voice of two presenters, ceremoniously dressed.
The streets became "walking streets", where you could buy delicious food, clothes, jewelry and handicrafts.

Restaurants and shops adhere to the event, staying open until late. These establishments hired bands and improvised sales stands for alcoholic beverages and fruit juices, seeking to attract as many visitors as possible.

For two nights I strolled and enjoyed the event. "Papa" Jack and Elara have an "adopted son" on the island, Chao – a very attentive man, who during the high season does the transport of people. It was with them that I went to the festival 😊
I confess that I spent most of my time at Malee Malee shop, a shop run by a small group of local artists, with handicrafts and handmade products. More expensive, but the products are very beautiful and they have great quality! This shop is also known for its tasty coffee.
The artists are friends of the hostel owners where I am. They hired a very good band for those days. It was where I stayed, in the company of my friends, meeting people, listening to live music, crossing with my roommates and other lovely people I have known as Juergen and Elisabeth (a German middle-aged couple who decided to quit their jobs and to travel the world, indefinitely, because they think it is better to have less, but to feel more they are living life.)

It was also during these days that Nico took Alex, Jojo and me out on the inland roads and paths in the middle of the jungle. Absolutely wonderful!.
On this tour we passed by Atcha Lanta - Elven Crafted Studio, a project developed by a couple that seeks to follow the principles of permaculture, both as regards housing construction and in relation to nature. Here the animals are free range, as geese, chickens or horses, among other wild animals (like a snake that we have seen pass!). For their sustainability, they make jewelry and have a bar. My companions and I took a break here and I had a delicious Thai chai 😋 (reviewed by Will Jobs - Thank you so much!!!)

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Portugal - Projecto "Moreira Team" / Figueira da Foz - Jun 2017

Portugal - Florescer / Linda-a-Velha - Jun 2017

Espanha - Camino Santiago / Finisterra - Apr 2017