domingo, 26 de fevereiro de 2017

Thailand - Chiang Mai / Thai Freedom House- Feb 2017

For a English version, please scroll down


Fui conhecer o Free Bird Cafe, um espaço simpático, mesmo à saída de uma das portas da Cidade Velha, onde também se pode comprar roupa e produtos naturais. Este café foi insistentemente recomendado pelas minhas amigas americanas Elaine e Jennifer. E com toda a razao!
Não só a comida é deliciosa e muito saudável como, quando comemos aqui ou adquirimos algum produto, 100% dos lucros são para prestar apoio à Thai Freedom House, uma ONG, que funciona como um centro de educação e promoção de competências linguísticas, pensamento crítico e expressão através da arte,  dedicada a prestar apoio a famílias e indivíduos refugiados da antiga Birmânia e elementos de grupos minoritários na Tailândia. 
É muito interessante e, simultaneamente extremamente preocupante, a realidade destas pessoas porque, mesmo legalmente, nao tem os mesmos direitos que as outras pessoas. De uma forma geral,  estão efectivamente a margem da socidade. Se quiserem aprofundar esta temática (tão actual também na Europa), recomendo que vão até à página para perceber melhor do que se trata.


Nesse dia, ao final da tarde, fiz ainda um curso de cozinha tailandesa com o Fredy (um argentino bem disposto, dono de um restaurante no sul de Espanha e decidido a gozar a vida o mais que possa, apesar do trabalho que tem). Não sei do que gostei mais, se do curso se da nossa conversa😊

Para finalizar, não se pode deixar Chiang Mai sem ir às cascatas de Mae Sa, e ao lago Huay Tueng Thao. 
Para tal aluguei uma mota com a Maribel, uma argentina bonita e despachada, que foi a co-piloto perfeita nesta viagem.
Na Tailândia para se guiar é preciso carta internacional, que habitualmente ninguém tem. O que acontece é sermos parados pela polícia, multados em 400bht, e essa multa dá-nos o direito de conduzir durante uma semana. A Elena, uma espanhola muito simpática e serena também hospedada no mesmo hostel, foi muito querida e emprestou-nos a sua multa, que foi de facto o que nos valeu.

Terminámos o dia no Wat Phrathat Doi Suthep, um templo muito bonito situado na montanha. A estrada que nos leva até lá é lindíssima e marcada por um cheiro maravilhoso a flores. 
Para finalizar, ainda tive a oportunidade de jantar com o Alex, um inglês com quem passei o Natal em 2012 em Bali, e que estava de passagem em Chiang Mai. Apercebeu-se que estavamos na mesma cidade pelo FB. Nao e fantástico?! Muito bom! 

English version

I went to visit the Free Bird Cafe, a friendly space, out of Old City  but very near of one of the doors, where you can also buy cloth and natural products. This space was insistently recommended by my American friends Elaine and Jennifer. And they were completely right!!

Not only the food is delicious and very healthy, but also when we eat here or we get some product, 100% of the profits are for supporting Thai Freedom House,In addition to the delicious food, here it is also possible to buy clothes and natural products. The best thing is when buy some product here, 100% of the profits are to support the Thai Freedom House - an NGO, which works as a language and arts community learning center dedicated to assisting families and refugees from Burma and elements of minority groups in Thailand.
It is very interesting and simultaneously extremely disturbing, the context of these people (refuggees). In general, they are effectively marginalized even by the law. If you want to deepen this theme (so current in Europe), I recommend that you go to its site.
At the end of the day, I also experienced  a Thai cooking course with Fredy, a cheerful Argentine (owner of a restaurant in the south of Spain, that has decided to enjoy life as much as he can, despite the work he has). I do not know what I liked most, if it was the cooking class or our conversation😊

In my opinion, it doesn't make sense to leave Chiang Mai without going to the waterfalls of Mae Sa, and Lake Huay Tueng Thao.
In order to do that I rented a motorcycle with Maribel, a beautiful and energetic Argentina girl, who was the perfect co-pilot on this trip.
In Thailand, you need an international license to drive, which it isn't comum. Usually, people are stopped by the police, fined in 400bht, and that fine gives the right to drive for a week. Elena, a very friendly and serene Spanish girl (also staying at the same hostel), was very nice and lent us her fine, which was, in fact, needed.

We finished the day at Wat Phrathat Doi Suthep, a very beautiful temple situated on the mountain. The road that leads to there is beautiful and marked by a wonderful smell of flowers.
At night, I  had dinner with Alex, an Englishman with whom I spent Christmas in 2012 in Bali, who was in transit in Chiang Mai. He realized that we were in the same city by FB. Isn't it fantastic? So nice!!


Sem comentários:

Enviar um comentário