quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Brasil - Rio de Janeiro - Centro, guiada por um Carioca apaixonado pela sua cidade



Após uma visita feita ONG Redes da Maré, que me deixou meia zonza do forte que foi, dirigi-me ao centro da cidade, tendo demorado mais do que o esperado devido a uma manifestação que obrigou ao corte de trânsito. 


Comi um bolinho e segui para o Centro Cultural Banco Brasil, abrigada pelo impermeável, já que chovia copiosamente! Vi as exposições que lá estavam, tendo me chamado particularmente a atenção a relativa à arte urbana em Berlim. 

O Leandro sugeriu que passasse no escritório dele e assim o fiz. Conheci os seus colegas de trabalho, muito simpáticos e amistosos, não podendo fugir ao invariável tema de conversa, assunto quente actual, a situação política! 

O dia estava a ser intenso e não perdeu intensidade mas ganhou beleza. 
O Leandro levou-me a passear ao final da tarde/ noite e o Rio estará sempre irremediavelmente associado a ele. Este meu amigo é um apaixonado pela Cidade, como a maioria dos cariocas, mas teve a generosidade ao longo destes dias de partilhar a sua visão e os seus lugares mais queridos.

Conduziu-me pelas ruas do Centro, agora fervilhantes de vida, com as suas fachadas mais históricas, que vão ganhando um encanto absolutamente deslumbrante com o cair da noite. Casa da Moeda, Praça da República, Biblioteca, diversas igrejas, Tiradentes, Praça XV de Novembro (a ser toda recuperada e que já sendo bonita, tornar-se-á um ponto obrigatório na cidade,) a Estação das Barcas e a Lapa...

A Lapa é um bairro com tanto charme! Tão bonito! Estendem-se, ao longo das ruas, restaurantes e bares, a funcionarem em casas apalaçadas, recuperadas com imenso bom gosto, glamour e uma iluminação doce. Vale mesmo a pena! 

Dali e passando os Arcos da Lapa, chega-se à Cinelândia, limitada pela praça Cardeal Câmara, passeio Público e Praça Monroe. Mas é o Teatro Municipal que se destaca e ganha vida à noite, com a sua iluminação!

Como calculam, naquele dia, após a visita às Redes da Maré, este passeio foi de uma enorme importância para mim. E foi com um gosto especial que agradeci mais uma vez ao Leandro e à Luciane a generosidade com que me estavam a receber, bebendo na sua companhia um vinho chileno.


(NOTA: Esta crónica é relativa a uma viagem realizada em Março de 2016. Corresponde ao que vivi e senti à data)


Sem comentários:

Enviar um comentário