domingo, 4 de dezembro de 2016

Brasil - Rio de Janeiro / "Nós do Morro" - Março 2016



Porque vim em pesquisa até ao Brasil, não posso deixar de vos falar da Comunidade do Vidigal, uma favela pacificada, com uma vista extraordinária, muito perto do Leblon. 


Marquei reunião com a "Nós do Morro", uma ONG que intervém através da expressão dramática e da arte e que procura a democratização do acesso à cultura.
Como tinha tempo, fui dar um passeio a Copacabana e dar um mergulho a Ipanema. Aqui conheci Eduardo Cossi, um psicólogo argentino muito simpático, professor universitário, que se interessa por psicodrama também. Mostrou-se curioso e perguntou se me podia acompanhar. A que respondi: Claro que sim!😀

E lá fomos nós fazendo toda a marginal a pé até ao morro, passeio comprido mas que muito recomendo, de bonito que é. E como o meu companheiro partilhava interesses e profissão, quase não dei pela distância, tendo em consideração a oportunidade de trocar impressões sobre as condições de trabalho na Argentina e em Portugal.
Foi nesse passeio também que reparei numa barraquinha do Benfica, na praia 😍
Naturalmente fui informar-me e explicaram que era toda patrocinada pelo Glorioso e que havia festa no sábado. Ponto assente, indo para o posto 9, aquela passaria a ser a minha base! 


Chegados à comunidade, apanhamos um moto-táxi que nos deixou na ONG.
Aí visitámos as instalações de "Nós do Morro" e ficámos à conversa com a Danieli, uma mulher afetuosa e super expressiva, apaixonada pelo seu trabalho. Explicou-nos a intervenção que fazem com a comunidade: oficinas, teatro, cinema, projetos… falou com intensidade e amor tais que me emocionou. Fez-me lembrar o quanto gosto deste trabalho e as saudades que às vezes tenho do que fazia no Alto da Loba, em Paço de Arcos.

Depois desta visita, de regresso a pé, foi com grande prazer que pude discutir algumas ideias com o Eduardo e realizar mais uma vez a importância que tem para mim fazer o que acredito mas em consonância comigo mesma. Grata pela experiência e pela companhia 😊


(NOTA: Esta crónica é relativa a uma viagem realizada em Março de 2016. Corresponde ao que vivi e senti à data)

Sem comentários:

Enviar um comentário